O liquidificador na vida do ilustrador

Atualizado: 5 de jan.


Still frame de animação criada com o Blender aqui no estúdio.
Still frame de animação criada com o Blender aqui no estúdio.

Pois é. Em dezembro de 2020 tinha prometido escrever sobre minha experiência com o liquidificador. Quase um ano depois, finalmente, aqui estou. :) Não, você não errou de blog. Vamos sim falar do fantástico Liquidificador 3D, mais conhecido como BLENDER 3D! Foram muitos os motivos para eu fazer questão de deixar esse registro, especialmente para que você que ainda tem dúvidas sobre se vale ou não a pena dedicar um tempo para aprender a usar o Blender.



Vida com ou sem o liquidificador?

Não quero aqui ficar comparando A com B ou C e sim falar dos pontos mais legais que me convenceram a aprender esse software e não algum outro disponível no mercado. O Blender é um software Open Source, ou seja, é um "software livre" onde você pode baixá-lo e usá-lo gratuitamente, modificá-lo (se quiser e souber), distribuí-lo gratuitamente. Essa questão já é um fator que pesa muito na hora de decidir, principalmente se você ainda não tem muita certeza se o workflow 3D vai funcionar ou se será realmente útil no seu dia a dia de produção. Falo isso porque não tinha muita certeza se me adaptaria na produção com imagens 3D e se caberia na produção do meu dia a dia. Mas eu sempre desconfiei que sim. :) Estava fazendo um curso de Motion Design e após estudos com o After Effects (animação 2D) o curso tinha um último módulo que fazia uma introdução ao 3D com o software Cinema 4D. O custo para usar o Cinema 4D (sim, é sem dúvida um software incrível) comercialmente não é baixo. Naquele momento, eu estava na posição zero de aprendizado com o 3D. Isso me tomou alguns dias colocando na balança o tempo que investiria aprendendo 3D com o Cinema 4D (existe uma versão gratuita temporária para estudante) e, caso começasse a usar comercialmente, teria que arcar com a mensalidade do software para não ter problemas futuros com licenças, ou se investira esse "mesmo tempo" aprendendo 3D com o Blender. O curso era com o Cinema 4D mas, no fim, escolhi aprender o Blender e fazer os módulos do curso usando esse software e não o Cinema 4D. Se conseguisse realizar esse (auto)desafio, teria a resposta. Terminou que consegui reproduzir os exercícios do curso fazendo todos os processos 3D no Blender. Isso me deu a certeza de que esse software gratuito estaria a altura de me dar os mesmos resultados que precisaria com as produções em 3D. Bom, essa foi a parte inicial da história. Nem comentei que lá nos anos 90 eu tive uma breve e frustrante experiência com o liquidificador. O software era bem mais rústico e a máquina que eu tinha realmente não ajudava. Esse fato realmente poderia ter definido minha decisão mas, para minha sorte, não deixei isso acontecer. :)



Animação 2D dentro de ambiente 3D
Animação 2D dentro de ambiente 3D


Vantagens

O fato do Blender ser gratuito pesou sim na minha decisão. Acontece que gosto (sempre que posso) de contribuir ou retribuir com as coisas ou pessoas que proporcionam crescimento à minha pessoa. Então, assim que comecei a produzir trabalhos comerciais e ter retorno financeiro com minhas produções no Blender, me cadastrei como contribuinte do software. Eles disponibilizam várias formas para você poder contribuir financeiramente com o projeto. Eu acho isso fantástico e há praticamente um ano que eu assino o Blender Cloud como forma de retribuir a esse projeto sensacional. Agora, faz praticamente um ano que comecei a produzir com o Blender e a conclusão que cheguei depois de todo esse tempo foi que, no meu caso, valeu demais a pena essa escolha. Vou pontuar a seguir algumas características desse software. Somado ao fato de ser gratuito, o conjunto dos módulos disponíveis para trabalho, ao meu ver, é sim uma ótima vantagem para escolher usá-lo.


Personagem modelado com o Blender aqui no estúdio.
Personagem modelado com o Blender aqui no estúdio.

O Blender disponibiliza (tudo em um único software): - Modelagem 3D; - Módulo de escultura; - Iluminação de cena; - Texturização; - Animação 3D; - Produção VFX (Efeitos Visuais); - Programação de GAMEs / scripts; - Módulo de edição de vídeo; - Módulo de desenho e animação 2D, dentro de um ambiente 3D. É possível fazer (quase) tudo dentro do mesmo software. Claro que se preferir pode realizar algumas dessas funções externamente em algum software de sua preferência e depois trazer o modelo para dentro e finalizar no Blender e vice-versa. Dizem que a curva de aprendizagem nele não é das mais tranquilas mas posso garantir que, com o tanto de tutorial disponível hoje na internet, em alguns dias já é possível você ter uma boa noção de toda a potência que esse software disponibiliza para sua produção. Importante dizer que não tive experiência de aprendizado em algum outro software 3D para poder comparar. O que posso dizer é que depois que você entende o conceito, percebe que o software fica cada vez mais incrível. Outras vantagens muito importantes que quero deixar registradas aqui são: alta frequência de atualizações e infinidade de Plug-ins disponíveis. Por ser código aberto, tem muita gente produzindo melhorias e pequenos scripts que facilitam nosso dia a dia em processos dentro do software. O software também é extremamente "leve" e roda em máquinas com capacidades reduzidas o que não é possível com outros concorrentes do Blender. Veja aqui os requisitos mínimos para instalação. Quero somente chamar a atenção para uma coisa mega especial e que é um grande diferencial desse software: o módulo de desenho e animação 2D dele. Mais conhecido como Grease Pencil, esse módulo disponibiliza ferramentas para ilustração e animação 2D porém tudo dentro do ambiente 3D. Inclusive, é possível intercambiar coisas do 2D para o 3D e vice-versa, além de aproveitar todo o ambiente de câmeras e recursos 3D para incrementar suas cenas 2D. Como aqui no estúdio trabalhamos muito com animações e ilustrações, esse recurso é hoje um baú do tesouro aqui para nós. O potencial criativo que isso nos proporciona é incrível!



Personagem 2D em cena 3D (still de animação)
Personagem 2D em cena 3D (still de animação)


Desvantagens

Sinceramente tenho poucas desvantagens para citar aqui, porém que fique claro que tudo que pontuei nesse texto é com base no meu dia a dia de uso. Uma das maiores "desvantagens" que vejo o pessoal comentando é a questão do Blender não ser (ainda) usado/adotado no workflow de grandes estúdios. Sobre capacidade de produção e qualidade, acredito que o software dá bem conta do recado. Vem ganhando espaço dia a dia no mainstream e já vemos sim grandes produções onde o Blender foi usado. Já vi também reclamações com relação ao software não dar conta de uma produção muito complexa. Como eu disse, um ano já usando o software e não tive problemas de produção com ele e penso que acaba sendo uma questão muito particular ou pontual, talvez. E, como citei mais acima, a questão da curva de aprendizado. Nesse ponto, o que vejo é que no fim, esse software te dá muito mais liberdade criativa em várias frentes, porém exige algum conhecimento de programação. Por outro lado, percebo que a comunidade trabalha incessantemente para melhorar e facilitar o uso de suas ferramentas, tornando-as sempre mais "amigáveis".



3 xícaras de café, sem açúcar, por favor...

Para finalizar, quero voltar àquela questão de olharmos os softwares sempre como ferramentas (falei sobre isso nesse post - clique aqui) e estarmos atentos às mudanças. Cedo ou tarde algo novo surge e toma lugar de algo antigo. Faz parte. Sobre nosso assunto aqui, fica a dica de que o liquidificador é uma baita ferramenta disponível para você neste exato momento. vai fundo! Se quiser, é claro. :)



Softwares citados

Blender 3D Cinema 4D After Effects


Se tiver alguma dúvida ou algo que possa contribuir com nosso artigo, entre em contato ou deixe um comentário. Até a próxima! Renato Stegun


#Blender3D #Software

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo