Você pode ter o SEU metarverso AGORA!

Atualizado: 9 de mar.


Fachada do STEGUN Studio em ambiente virtual interativo 3D.


Como um estúdio que proporciona experiências visuais (especialmente com ilustrações e animações) intensificamos, desde o final do ano de 2021, nossas pesquisas para viabilizar uma experiência dentro do contexto do "movimento metaverso". Escrevemos um artigo falando mais detalhadamente sobre o conceito de metaverso aqui. Uma das premissas de nossa pesquisa foi a de encontrar e configurar algo que tivesse utilidade em nosso dia a dia junto aos nossos clientes e parceiros, algo que fosse além do entretenimento dos jogos que é o que temos mais popularizado em uso atualmente nesse meio. Enfim, acabamos de inaugurar, no início de fevereiro de 2022, nosso mais novo ambiente em realidade virtual! E o mais legal de tudo isso é que, essa possibilidade de disponibilizar uma experiência dessa para seu negócio e/ou para seu cliente, está acessível para você AGORA!

2D

No início de 2022 (janeiro) implementamos nosso primeiro ambiente dentro da plataforma Gather Town. O Gather Town é um ambiente no formato 2D que possibilita personalização e inúmeras funcionalidades interessantes e úteis para o uso no dia a dia. Nele você “entra” com um avatar pré-configurado com características que você pode escolher dentre inúmeras oferecidas pela plataforma e pode interagir com as pessoas e funcionalidades do ambiente em que estiver inserido. Desde então, estamos usando em nosso dia a dia aqui do estúdio e já fizemos inúmeras reuniões e encontros com clientes e parceiros dentro desse ambiente. Está funcionado muito bem e possibilita uma experiência bacana, divertida e funcional.

Registro de reunião com cliente dentro do ambiente do estúdio na plataforma Gather Town. Ambiente 2D com recursos interativos em salas privadas e temáticas.


3D

Continuamos nossas pesquisas e encontramos a plataforma Mozilla Hubs que proporciona uma experiência ainda mais imersiva e característica da realidade virtual. Essa outra plataforma acontece em um ambiente 3D e possibilita a experiência com headsets VR (Oculus Quest, Oculus Go, Samsung VR, entre outros) porém funciona diretamente pelo celular ou PC, sem necessidade desses aparatos. Você também escolhe um avatar para representá-lo, e a experiência acontece em primeira pessoa, você vê o ambiente como se estivesse dentro dele em 3 dimensões, diferente do Gather que você vê seu avatar “de fora” e o guia por um plano bidimensional. No momento em que escrevo esse artigo as duas plataformas estão ativas e sendo usadas diariamente por nós aqui do estúdio. Quero aproveitar nossa experiência com essas plataformas e destacar alguns pontos importantes que devem ser levados em consideração sobre todo esse chamado "movimento metaverso".


Ambiente imersivo na plataforma Mozilla Hubs. Possibilidade de acesso com HeadsetVR em ambiente 3D.

Onde e como pode ser útil?


Em primeiro lugar cito a questão de colocar esses ambientes para uso prático que ajude a resolver questões necessárias e práticas em nosso dia a dia. Como exemplo posso citar aqui o aumento da frequência de reuniões por videoconferência. O ambiente 2D do Gather, além de viabilizar esse encontro virtual, assim como o fazem os apps de videoconferência como Zoom, Meet, Teams etc, traz também uma somatória de situações e recursos que são visualmente muito úteis, facilitadores e amigáveis para o relacionamento entre os envolvidos. Você coloca literalmente as pessoas dentro de um cenário/contexto visual que enriquece a vivência. No caso do ambiente imersivo com o Mozilla Hubs, montamos uma espécie de show room onde o visitante circula livremente como se estivesse presente no local e pode acessar sala de projeção de nossas animações e exposições com ilustrações, além de pontos para acesso à informações sobre o estúdio e para nossa galeria de pinturas onde pode efetivar compra de reproduções online. Como já dissemos, a ideia é possibilitar que nossos visitantes e clientes tenham essa experiência e em muitos casos, seu primeiro contato com um ambiente de realidade virtual. Com o tempo, a ideia é movimentar o conteúdo apresentado e criar novas vivências dentro desse ambiente. É possível, por exemplo, alugar salas para apresentações e conferências, montar exposições de artes ou também uma feira com diferentes expositores dentro desses ambientes, além de explorar espaços publicitários.

Avatar 100% personalizado para Mozilla Hubs. Criado e programado pelo STEGUN Studio em Blender3D.


Visualmente simples!

Quando entramos no campo da experiência com realidade virtual (e mesmo realidade aumentada) e pensamos na questão da funcionalidade, esbarramos com o dilema da facilidade e inclusão virtual, no sentido de disponibilidade e potência de equipamento e de banda de internet mesmo. Todo o processo que envolve um ambiente 3D, automaticamente passa a exigir maior capacidade de processamento. Simplesmente por esse motivo, nos deparamos frequentemente com ambientes visualmente bastante geometrizados e “simplificados” em termos de detalhes como textura, luz e sombra. Basicamente isso ocorre para possibilitar que tudo funcione da melhor forma dentro de uma gama enorme de dispositivos com capacidade de processamento e velocidades de acesso diferentes. Tecnologicamente do ponto de vista de criação, as possibilidades de refinamento visual são gigantes sem dúvida porém, precisam ainda ser propositadamente limitadas em situações de ambientes com propostas abertas como as que citei acima com o Gather Town e Mozilla Hubs. Por exemplo, o ambiente do estúdio que criamos no Mozzila Hubs, tem um link aberto para acesso por qualquer pessoa através de nosso site. Com isso, não temos como controlar o tipo e capacidade do dispositivo pelo qual as pessoas irão acessá-lo. Então, quanto mais otimizado estiver todo o conjunto, mais pessoas poderão viver a experiência e a possibilidade de que a experiência seja frustrada é reduzida (sem travamentos). Veja na imagem abaixo a comparação lado a lado da versão mais refinada da fachada do estúdio em formato de “foto” (não interativo) e a versão que está funcionado hoje no ambiente virtual interativo do Mozilla Hubs.


Img. esq: versão refinada em 3D para still. | Img. dir.: versão otimizada para plataforma de RV.

A imagem criada para a plataforma precisou ser muito mais simplificado, não por falta de técnica criativa mas para viabilizar e reduzir a necessidade de carga de processamento e funcionar praticamente para qualquer pessoa que queria experimentar e visitar esse ambiente. Um exemplo dentro de um ambiente controlado seria o de um jogo 100% programado para funcionar em um console de game. O jogo já é concebido para rodar exatamente conforme os parâmetros de capacidade daquele console específico, eles (programadores) têm controle prévio para saber até onde podem explorar, sabendo que todos que usarem aquele jogo, dentro daquele console terão o mesmo resultado. Essa é uma primeira questão muito importante sobre o movimento metaverso. É preciso entender que algumas coisas precisam ser otimizadas para funcionar bem em um ambiente não controlado. Em parte, a pulverização de uma banda mais rápida de acesso à internet (5G por exemplo) pode ajudar muito.

Personalização e modelagem de ambiente 3D para Mozilla Hubs. Software Blender3D.


Descentralização

A caraterística citada acima leva para uma outra reflexão que é a necessidade desse ambiente chamado metaverso ser preferencialmente descentralizado, ou seja, funcionar de forma menos dependente possível de um núcleo fechado (ambiente controlado). Isso quer dizer que é importante o descolamento da necessidade desses núcleos “fechados” de acesso a esses ambientes virtuais. Hoje funciona mais ou menos como o exemplo dos consoles, onde cada “ambiente metaverso” (Decentraland, Roblox, The SandBox) existe limitado às suas capacidades e não “conversam” entre si. É possível criar links de acesso entre um ambiente e outro como temos feito aqui com nossa sala no Gather e nosso ambiente no Mozilla Hubs, porém não podemos ainda compartilhar o mesmo avatar entre essas plataformas. Seria ideal que uma espécie de padrão (protocolo) fosse definido em comum acordo para dar início a essa facilitação de interligar esses núcleos, hoje ainda centralizados.

Nossas escolhas aqui no estúdio

Sobre o Gather (2D) que foi a primeira plataforma que passamos a usar aqui junto aos nossos clientes para os encontros virtuais, está funcionando muito bem e atendendo nossas necessidades, porém dentro de um ambiente bidimensional e que funciona com limitações criativas no sentido visual, tanto para os avatares como para os ambientes. Sobre a plataforma do Mozilla Hubs (3D), além de encontrar a experiência imersiva tão esperada dentro do movimento metaverso, temos também a facilidade e abrangência no sentido da inclusão virtual que descrevemos anteriormente. Olha só, você não precisa instalar nada no seu dispositivo para acessar o ambiente. Além dessas questões que colocam a plataforma do Hubs em "vantagem", temos ainda a liberdade criativa tanto para personalização dos avatares como também para os ambientes. É possível criar um avatar e um ambiente 100% personalizados. Esse é um enorme diferencial para essa plataforma. Claro que a personalização exigirá o conhecimento técnico de modelagem e programação 3D mas a plataforma demonstra e propõe uma característica totalmente aberta o que é louvável. Além de ser um projeto Open Source! Sensacional! (psiu! Nós aqui do STEGUN Studio sabemos personalizar o ambiente e o avatar para o Mozilla Hubs. Caso você precise é só chamar.)

Vídeo demonstração de como acessar nosso ambiente VR.



E aí, quem vem?


Curioso que não encontrei (ainda) muitas iniciativas utilizando e explorando essa plataforma, especialmente aqui no Brasil. Do que pesquisei e encontrei até aqui, esse formato do Mozilla Hubs tem um potencial gigante para melhor entendermos e desenvolvermos todos esses dilemas ainda presentes na questão do movimento metaverso. Além de ser um modelo extremamente acessível para que negócios de todos os tamanhos disponibilizem uma experiência imersiva, compatível com o movimento metaverso, já neste momento. Antes de finalizar, é claro que faço o convite para você clicar aqui e visitar nosso ambiente em realidade virtual. Você vai ver como é fácil, simples e funcional. Não precisa instalar nada! Basta clicar no link para abrir a sala; escolher Join Room; escolher seu avatar (na primeira vez), lembre-se de alterar o nome do avatar (ele sugere um nome genérico); entrar na sala e curtir a experiência. Funciona em celular/tablet e PC e se você tiver um Headset VR, melhor ainda! Compartilhe esse artigo, divulgue essa possibilidade com seus colegas e parceiros de negócios e deixe também seu comentário aqui conosco contando como foi experimentar um pouco desse tal metaverso. E se você pensa algo diferente sobre ou teve alguma outra experiência bacana compartilhe com a gente! Até breve!


Renato Stegun é Fundador do STEGUN/Studio,

publicitário, diretor de arte, animador,

ilustrador e artista visual. Contato: renato@stegun.com.br

#RealidadeVirtual #VR #Metaverso #Produtividade

79 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo